quinta-feira, 26 de maio de 2016

Recordações da Itália - 2016-05-25 - Orvieto, Todi, Spoleto e Montefalco

Hoje o dia foi de, digamos, de transição. Deixamos a hospedagem de Orvieto e chegamos em Spello. Se houvesse missa por aqui, moraria em qualquer uma delas. Mas enfim, tristes tempos. Tão tristes que vou falar deles mais abaixo. Antes vamos ao que vimos de interessante hoje.

O altar onde está guardado o corporal com o Preciosíssimo Sangue de Nosso Senhor, em Orvieto.






Acima, o milagre eucarístico narrado na parede direita da capela onde se encontra o Santo Corporal. As imagens dizem por si só. Alguma semelhança com Buenos Aires?

O corpo incorrupto de Santa Chiara de Montefalco





Marcas da Paixão no Coração de Santa Chiara

Coração incorrupto
Sobre Santa Chiara, é interessante contar que as 3 bolinhas que estão expostas na cruz, ao serem retiradas do seu corpo são o mistério da Santíssima Trindade. As 3 bolinhas pesadas separadas, ou duas a duas, ou juntas, possuem sempre o mesmo peso.


Bom, mas mostrado um pouco o que de bom Padre e eu vimos, deixa-me inquieto outro fato que não pode passar em branco: a destruição das Igrejas, e principalmente dos altares. Bem lembrou nosso confrade Geovanne, que essa é a construção de uma nova religião. Em uma mesa temos a ceia. Em um altar temos sacrifício. Em um altar não pode existir ceia, assim como em uma mesa não pode haver sacrifício. Esta é a nova religião do homem. Não obstante, alguns procuram estar misteriosamente unidos a essa igreja conciliar, digo usando as palavras de Mosenhor Lefebvre:

"El problema de la situacion de los fieles y de la situacion del Papado actual ha hecho que carezcan de valor las objeciones de jurisdiccion, desobediência y apostolicidad, porque esas nociones suponen un Papa Católico en su Fé y en su gobierno." (Biografia de Mon Lefebvre)

Não estamos unidos a essa destruição do que é Sagrado. Concordar com a desolação do lugar santo não me parece nada mais do que respeito humano.

São Pio X, rogai por nós!









Uma pequena amostra do que vimos. Consequência dos frutos mais ou menos bons.

Nenhum comentário:

Postar um comentário